fbpx

Análise – Londrina teve que se reerguer durante toda a Série C para garantir o acesso

Share this...

O Londrina teve um Campeonato Brasileiro cheio de altos e baixos, e precisou se superar a cada semana para buscar o acesso

Por Vinícius Eira
Fotos: Gustavo Oliveira/Londrina EC

A Série C se encerrou para o Londrina neste sábado (16) com o final mais feliz possível. Dentre os objetivos da temporada, o maior foi alcançado: o Tubarão retornou à Série B na temporada seguinte ao rebaixamento, garantindo mais calendário, e também mais dinheiro, auxiliando, e muito, no processo de estruturação do clube. Mas analisando a campanha em si, e tendo em vista o contexto em que vivemos ao longo de 2020, o LEC teve que superar desafios e se reerguer praticamente ao longo de toda semana.

Voltando no tempo, lá no começo de 2020, quando ainda podíamos ir aos estádios, o Londrina buscou jogar o Paranaense com uma aposta na juventude. 31 jogadores foram utilizados no primeiro semestre, com quase metade, 14, formados na base do LEC, e nenhum atleta com mais de 30 anos. A média de idade era de apenas de 22,7 anos. Para o Brasileirão, foram adicionados 23 novos jogadores, entre empréstimos e contratações definitivas, mas com um foco: o acréscimo de experiência. Cinco dos novos reforços possuíam mais de 30 anos, principalmente em funções defensivas, e a média de idade subiu para 24,4 anos, muito por conta de ainda ter um ataque muito jovem.

Athletico-PR x Londrina
Danilo, de 21 anos, em ação contra o Athletico na partida que cultiminou na eliminação do Paranaense (Gustavo Oliveira/Londrina EC)

E com um elenco ainda em formação, e com o menor tempo de preparação de toda a Série C – já que a diretoria priorizou a segurança dos funcionários em um ponto crítico da pandemia – o Tubarão iniciou sua campanha contra o Criciúma com um time com oito novos jogadores. O jogo acabou 0 a 0, o futebol, claro, não foi dos melhores, e se não fosse o Dalton – que defendeu pênalti –, o LEC já iniciaria o Brasileiro com uma derrota. Nos dois jogos seguintes, dois novos tropeços, ambos fora de casa: derrota por 2 a 1 para Ypiranga, com muitos erros defensivos, e empate em 1 a 1 contra o Ituano, com gol contra que tirou a vitória no fim. Dois pontos em três jogos. Naquela altura, somando o Paranaense, o Londrina não vencia há nove jogos, e a pressão por resultado era enorme.

O Tubarão então teria três jogos em casa contra equipes que vinham mal no certame, e tinha quem falasse que se não conseguisse nove pontos nessas partidas, o Londrina brigaria para não cair. Mas com a adição de Adenílson, e o encaixe defensivo, o LEC começou o que seria um recorde no Estádio do Café. 2 a 0 contra o Boa Esporte, e 1 a 0 contra São Bento e São José. A fortaleza na Avenida Henrique Mansano colocou a equipe alviceleste em outro patamar na Série C, e o torcedor já passou a pensar na ideia de se buscar o acesso.

Londrina x São José-RS
Adenílson chegou, e rapidamente se tornou o destaque da equipe. Na foto, o gol de pênalti contra o São José-RS (Gustavo Oliveira/Londrina EC)

Mas novamente, a montanha russa de emoções derrubou o Tubarão. Após os três triunfos em casa, o LEC teria dois jogos fora, que novamente colocaram o time em um ponto baixo na temporada. Derrota por 2 a 1 para Tombense e Brusque. O primeiro, jogando um dos piores jogos do ano, o segundo, jogando um dos melhores jogos do ano. A síntese dos altos e baixos que colocou novamente no Londrina a pressão e responsabilidade de vencer em casa para se manter na briga por uma vaga a segunda fase. E jogo em casa foi sinônimo de superação nessa Série C. 1 a 0 contra o Volta Redonda, e uma vaga no G-4 no fim do primeiro turno.

Mas a segunda metade do campeonato começou com um banho de água fria. Derrota para o Criciúma fora de casa, com comportamento apático e erros individuais. O torcedor ficava na bronca pela mudança de postura em jogos dentro e fora de Londrina. E o exemplo maior veio nos outros dois jogos, com as vitórias contra Ypiranga, por 3 a 2, e Ituano, por 1 a 0, no Estádio do Café. Duas partidas em que o Tubarão se comportou bem, e contra times que vinham crescendo muito no certame.

Londrina x Ituano
Victor Daniel, a grande esperança da base, marcou um golaço na vitória sobre o Ituano (Gustavo Oliveira/Londrina EC)

Além disso, o torcedor ficou empolgado com a possibilidade de emendar mais seis pontos na sequência e ainda quebrar o tabu de não conseguir vencer fora de casa, já que o LEC jogaria contra os dois lanternas, São Bento e Boa Esporte. Mas dentro de campo as coisas foram diferentes. 0 a 0 em Varginha, contra um Boa Esporte muito retrancado. E derrota por 1 a 0 em Sorocaba, contra o São Bento que jogou por uma bola. Tudo desmoronou novamente. O Tubarão tinha quatro jogos para buscar a classificação.

E novamente foi uma montanha russa de emoções. Vitória muito comemorada contra o Brusque, em casa, com estreia e gol do mito Celsinho. Empate sem gols frustrante contra o São José, fora de casa, que colocou uma pulga atrás da orelha do torcedor. Vitória espetacular de virada contra o Tombense, em casa, de virada, que colocou uma molecada no radar e renovou os ânimos. Além do empate, com gol emocionante de Celsinho que havia perdido o pai no mesmo dia, contra o Volta Redonda já desfalcado, fora, que no fim das contas foi benéfico e levou o Tubarão para um grupo bem equilibrado na segunda fase.

Volta Redonda x Londrina
O gol de Celsinho contra o Volta Redonda dedicado para seu pai, que havia falecido no dia da partida (Gustavo Oliveira/Londrina EC)

Para o quadrangular final, o torcedor fazia a conta simples: se o Londrina conseguiu oito vitórias seguidas em casa, igualando o recorde do clube de 2018, e não venceu ainda fora, era só ganhar as três no Estádio do Café, empatar uma longe do norte paranaense e garantia o acesso. Mas no fim, não foi bem assim. Em vez de três vitórias em casa, vieram três empates. Além disso, os tão esperados três pontos fora finalmente apareceram, na maior superação que o LEC teve, buscando uma virada após sair perdendo por 2 a 0 contra o Ypiranga, em Erechim. E bom, teve o último jogo em Belém, que está bem fresco na memória do torcedor, e acho que não vai sair da cabeça de muitos tão cedo. O Londrina superou todas as expectativas e críticas, calou a boca de muitos torcedores, tanto daqui, como de Erechim, e principalmente de Belém, acabou com a chance de acesso conjunto da dupla Re-Pa, que o Brasil todo parecia querer, e voltou à Série B.

O Tubarão termina sua participação na Série C com o acesso, em uma campanha de 24 jogos, 10 vitórias, oito empates e seis derrotas, 27 gols marcados e 22 gols sofridos. Em casa, o LEC fez sua fortaleza, e teve a 2ª melhor campanha da competição, com oito vitórias, quatro empates, 14 gols marcados e apenas cinco sofridos. Quando precisou sair de Londrina, sofreu um pouco. Em 12 jogos, foram duas vitórias, quatro empates e seis derrotas, 13 gols marcados e 17 sofridos. Adenílson foi o artilheiro, com seis gols, e empatou com Bruno Batata (2015) na artilharia da história do LEC em participações na Série C; o meia também se destacou na liderança de assistências, com três. Além disso, Dalton foi o único jogador que disputou todos os minutos da competição.

Pós-Jogo_YPIxLEC_GustavoOliveira
O elenco do Londrina celebrando a virada contra o Ypiranga, em Erechim, que foi fundamental na briga pelo acesso (Gustavo Oliveira/Londrina EC)

Mas o maior destaque da campanha fica por conta de todo o trabalho realizado pelos profissionais do Londrina Esporte Clube. Em um ano tão difícil para todos, com pandemia, incertezas e medo, o Tubarão conseguiu se blindar em busca do objetivo final. O LEC só foi registrar seu primeiro caso de Covid-19 em outubro, e foi um dos clubes com menos registros positivos da competição. Além disso, com exceção do Marcel e Junior Pirambu, o time não teve registro de lesões mais sérias, mesmo com os atletas ficando tanto tempo parado no primeiro semestre; e raramente se via queixas de câimbras ou desconforto muscular nas partidas. Fora todas as dificuldades financeiras que tivemos notícia apenas no término do certame. Um trabalho muito bem feito por todos os funcionários, com foco em subir à Série B, e ele veio. Portanto torcedor, comemore, o Londrina conseguiu o acesso!


LEIA MAIS: Londrina vence o Remo fora de casa, e garante o retorno à Série B
Acesso, permanência no Londrina e mais; confira a entrevista exclusiva com o técnico Alemão


BAIXE O APLICATIVO DA TUBARÁDIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *