fbpx

Com três a mais, Londrina busca virada heroica contra o Ypiranga fora de casa

Share this...

Em jogo emocionante, e com arbitragem polêmica, Londrina vira sobre o Ypiranga nos acréscimos e quebra tabu longe do Estádio do Café

Por Vinícius Eira
Fotos: Gustavo Oliveira/Londrina EC

Na noite do último domingo (20), Ypiranga e Londrina se enfrentaram em jogo válido pela segunda rodada da segunda fase da Série C. As duas equipes buscavam a primeira vitória na etapa do campeonato para não se distanciarem do acesso, e mesmo para quem já esperava um jogo aberto e com muitas oportunidades, acabou se surpreendendo com o roteiro que foi escrito. Os gaúchos abriram 2 a 0 em menos de 15 minutos, mas tiveram três expulsões, deram um papelão na confusão com árbitro, e o Londrina, que não tinha nada a ver com a história, virou com Adenílson, Samuel Gomes e Igor Paixão. Um triunfo épico, que renova o ânimo e o psicológico do elenco Alviceleste, e finalmente quebra o tabu de vitórias fora de casa.


PRIMEIRO TEMPO

Ypiranga e Londrina já entraram em campo sabendo que o Remo havia vencido o Paysandu, e quem perdesse em Erechim iria para a lanterna do grupo. Além disso, o técnico Alemão havia mudado o esquema tático do Tubarão, promovendo as entradas de Alan Cardoso e Celsinho, mas mantendo Carlos Henrique entre os titulares. Com isso, a tendência era de um Londrina mais lento e previsível, e isso se confirmou.

A equipe Canarinha entrou em campo acelerada. Com pressão em cima de um Londrina muito instável psicologicamente, Caprini, que jogava nas costas de Alan Cardoso, fez o que quis. Primeiro, aos 11 minutos, quando se deslocou da direita para o meio, recebeu sozinho na entrada da área, deixou Jeferson no chão, e contou com desvio de Marcondes para abrir o placar. Um minuto depois, novo vacilo da defesa do LEC, desta vez com Jeferson que tentou proteger a bola na linha de fundo, mas perdeu para Caprini, que invadiu a área pela direita e finalizou alto para ampliar a vantagem.

O Londrina parecia perdido em campo, sem um padrão de jogo, lento, e com o psicológico destruído. Mas aos 21, as coisas começaram a sorrir para o torcedor Alviceleste, já que Muriel recebeu o segundo cartão amarelo e, consequentemente, o vermelho. Com isso, Alemão já sacou Carlos Henrique e Marcel, para promover as entradas de Danilo e Igor Paixão. Além disso, o próprio Caprini, que infernizava a defesa do LEC, sentiu dores e foi substituído. Mas quem esperava a reação imediata, acabou se decepcionando. Os gaúchos aproveitaram a vantagem, amarraram o jogo e dificultaram a vida do Tubarão, que foi para o intervalo sem saber como buscar a virada.


SEGUNDO TEMPO

Para a segunda etapa, Alemão recolocou uma referência no ataque, com Junior Pirambu, e tentava guiar um caminho rumo ao gol. O Ypiranga seguia fazendo cera, abdicando do jogo e recuando suas linhas. Mas os ventos passaram a soprar contra Erechim e rumo à Londrina aos 20 minutos do segundo tempo. Tudo mudou.

O primeiro lance capital da remontada Alviceleste se deu na entrada de Samuel Gomes, que nem precisou tocar na bola para influenciar na partida. Cruzamento na área, Samuel sobe, mas sofre uma carga nas costas por Zé Mário, o árbitro assinala a penalidade máxima e dá o primeiro amarelo para o lateral. Adenílson cobrou no canto esquerdo e diminuiu o placar para o LEC.

Três minutos depois, o segundo lance capital para a remontada Alviceleste. Em lance infantil, Zé Mário cobria a bola para saída pela linha de fundo, e simplesmente, deu uma cotovelada em Gedeílson. O árbitro viu e prontamente lhe mostrou o segundo amarelo, e o vermelho. Foi o estopim para uma confusão generalizada dos jogadores gaúchos para cima do trio de arbitragem, que resultou em policiamento no gramado, e nas expulsões do atacante Neto Pessoa e do técnico Celso Teixeira.

Com mais de dez minutos de paralisação, o jogo recomeçou, e o Londrina adiantou tudo que tinha para adiantar em busca da virada. Pirambu, Samuel Gomes e Igor Paixão desperdiçaram chances claras, mas o melhor estava por vir nos acréscimos. Pela remontada, aos 48 minutos, Luan Marchiori recebeu na esquerda, e parece que colocou a bola com as mãos, na segunda trave, na cabeça de Samuel Gomes, que sozinho, finalizou cruzado e empatou a partida.

Mas quem remou até ali, não podia voltar sem um peixe maior nas mãos. Aos 50 minutos, Luan fez bom passe para Douglas na ponta esquerda, o atacante finalizou cruzado, Deivity fez a defesa, mas no rebote, Igor Paixão finalizou forte para estufar as redes em Erechim e fazer explodir a nação alviceleste. Era a virada, na forma mais épica que a palavra pode significar. Foi o último ato de uma peça dupla. Lado feliz da máscara para o Londrina, e lado dramático para o Ypiranga, em um segundo tempo que nem coube muito uma análise tática, e sim uma análise emocionou. A escalação se acertou, o adversário se desequilibrou, e o Londrina buscou uma vitória épica.

O Tubarão divide a liderança do grupo com o Remo, com quatro pontos cada, e volta a campo no sábado (26), às 17 horas, desta vez em Belém-PA, para enfrentar o Paysandu. Já o Ypiranga amargura a lanterna do grupo D, e no domingo (27) às 18 horas, no mesmo local, visita o Remo.

Londrina Ypiranga
Jogadores e membros da comissão técnica do Londrina celebrando a virada no vestiário (Gustavo Oliveira/Londrina EC)

FICHA TÉCNICA: Ypiranga 2×3 Londrina

Ypiranga: Deivity; Muriel, Reinaldo, Kanu e Zé Mário; Tarik (Douglas), Clayton, Mossoró (Cristiano), Jean Silva (Assis), Caprini (Fidelis) e Neto Pessoa. Técnico: Celso Teixeira.

Londrina: Dalton; Gedeílson, Marcondes, Jeferson e Alan Cardoso (Luan Marchiori); Marcel (Danilo) [Samuel Gomes], Matheus Bianqui, Adenílson e Celsinho (Júnior Pirambu), Douglas Santos e Carlos Henrique (Igor Paixão). Técnico: Alemão.

Gols: Caprini (aos 11’1T e 12’1T) para o Ypiranga. E Adenílson (23’2T), Samuel Gomes (48’2T) e Igor Paixão (50’2T).

Cartões amarelos: Deivity, Muriel, Zé Mário, Mossoró e Celso Teixeira tomaram pelo o Ypiranga. E Danilo e Igor Paixão levaram pelo o Londrina.

Cartões vermelhos: Muriel, Zé Mário, Neto Pessoa e Celso Teixeira pelo Ypiranga.

Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior-PE

Assistentes: Clovis Amaral da Silva-PE e Ricardo Bezerra Chianca-PE.

Estádio: Colosso da Lagoa, em Erechim-RS.


LEIA MAIS: Londrina e Remo não saem do zero na abertura da segunda fase da Série C

BAIXE O APLICATIVO DA TUBARÁDIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *