fbpx

NA CABEÇA DO TORCEDOR #01 – Murilo Machado

Share this...

Murilo Machado (o do meio na foto), 26 anos – Administrador

@murilomcosta

Quando comecei acompanhar, o Londrina estava disputando a Divisão de Acesso do Paranaense. Eu nunca tinha assistido um jogo no estádio, e precisei de apenas um para me apaixonar pelo o Londrina. O clube não tinha calendário para o ano todo, mas em todos os anos era uma torcida para o time subir um degrauzinho a mais.

Cada conquista era muito comemorada, com vários jogos marcantes. Os maiores exemplos são o acesso para a Série B, os jogos diante do Cruzeiro e Atlético-MG pela Primeira Liga, porém, o mais marcante foi a semifinal do Campeonato Paranaense de 2014 diante do Athletico Paranaense. O clima do jogo era de “A esperança é a última que morre”.

Era a segunda partida das semis, alguns jogadores do Athletico já contavam vitória desde o primeiro jogo. Mas, aquela noite o Estádio do Café estava diferente, me lembro de levar alguns amigos para conhecer e eles ficaram encantados com a energia da torcida. O jogo começou e logo tomamos um gol. Neste momento fiquei assustado, mas aquele gol não calou a torcida, que explodiu quando veio o empate, e ficaram ainda mais loucos com a virada. Sentiamos que aquele jogo era nosso, e a torcida gritava ainda mais alto. Tenho certeza que o Athletico não esperava um Londrina tão forte.

O Tubarão mostrou a sua grandeza. Não me esqueço até hoje quando o Arthur fez o quarto gol. O estádio veio a baixo, eu chorando de alegria e correndo para todos os lados. O Londrina consegui a classificação para a final, uma noite sensacional para os londrinenses. Hoje em dia, às vezes assisto novamente os melhores momentos para relembrar aquele jogo.

View this post on Instagram

NA CABEÇA DO TORCEDOR #01 Murilo Machado (o do meio na foto), 26 anos – Administrador @murilomcosta Quando comecei acompanhar, o Londrina estava disputando a Divisão de Acesso do Paranaense. Eu nunca tinha assistido um jogo no estádio, e precisei de apenas um para me apaixonar pelo o Londrina. O clube não tinha calendário para o ano todo, mas em todos os anos era uma torcida para o time subir um degrauzinho a mais. Cada conquista era muito comemorada, com vários jogos marcantes. Os maiores exemplos são o acesso para a Série B, os jogos diante do Cruzeiro e Atlético-MG pela Primeira Liga, porém, o mais marcante foi a semifinal do Campeonato Paranaense de 2014 diante do Athletico Paranaense. O clima do jogo era de "A esperança é a última que morre". Era a segunda partida das semis, alguns jogadores do Athletico já contavam vitória desde o primeiro jogo. Mas, aquela noite o Estádio do Café estava diferente, me lembro de levar alguns amigos para conhecer e eles ficaram encantados com a energia da torcida. O jogo começou e logo tomamos um gol. Neste momento fiquei assustado, mas aquele gol não calou a torcida, que explodiu quando veio o empate, e ficaram ainda mais loucos com a virada. Sentiamos que aquele jogo era nosso, e a torcida gritava ainda mais alto. Tenho certeza que o Athletico não esperava um Londrina tão forte. O Tubarão mostrou a sua grandeza. Não me esqueço até hoje quando o Arthur fez o quarto gol. O estádio veio a baixo, eu chorando de alegria e correndo para todos os lados. O Londrina consegui a classificação para a final, uma noite sensacional para os londrinenses. Hoje em dia, às vezes assisto novamente os melhores momentos para relembrar aquele jogo.

A post shared by Mitos do Esporte (@mitosesporte) on

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *